6 de abr de 2011

Palestra Vídeo Aula Filme O Diabo Veste Prada: sobrevivendo a selva corporativa

O filme “O Diabo veste Prada” é realmente uma obra prima do cinema em todos os seus aspectos! Desde a direção até a atuação dos atores é impecável! Ele nos mostra como a coletividade (e o convívio cotidiano) em um ritmo acelerado pode nos levar a mudar completamente o rumo das nossas crenças individuais. Nos mostra o quão frágil somos diante de organizações que são estruturadas para funcionar em um ritmo alucinante (e quase todas são) onde a eficiência é o carro chefe. Muitos se deixam levar em ao menos perceber que estão sendo “lapidados” e “moldados” por uma estrutura que tem um único objetivo: expandir-se.

Uma corporação vive para isso: crescer, expandir-se e lucrar. Pessoas entram, pessoas saem, pessoas se estressam, pessoas se aposentam, pessoas são demitidas, pessoas morrem, mas o objetivo continua o mesmo! Crescer, expandir-se e lucrar! Então a corporação é o demônio? O ambiente corporativo é o próprio inferno? De maneira alguma caros amigos e amigas! Graças as grandes corporações é que hoje temos uma sociedade que oferece uma estrutura material nunca experimentada na história da nossa humanidade! De maneira alguma sou contra as corporações! Mas, nós (e não as corporações, porque elas não tem vida em si mesmo, mas são animadas por outras pessoas ou por um conjunto de pessoas) é que temos que entender que o ambiente corporativo pode servir não somente para produção acelerada de coisas, mas pode servir também para o crescimento pessoal de cada indivíduo!


O que você vai aprender na Palestra O Diabo Veste Prada

Ponto 1 – Entendendo as regras do jogo: oportunidade, preconceito ou humilhaçãoo

1 – A idéia de preconceito: destruindo os nossos preconceitos para destruir o preconceito dos outros
2 – A idéia de oportunidade: destruindo as barreiras do presente para construir as pontes do futuro
3 – O pão nosso de cada dia: o peso da nosso visão de mundo na nossa reação as dificuldades da vida

Ponto 2 – Aprendendo a ser atacante: Andy aprende a ser pró-ativa    

1 – Aprendendo a jogar no campo do inimigo: a mudança de perfil interior de Andy Sachs – agressividade 
2 – Aprendendo a jogar com o inimigo: a mudança no perfil exterior de Andy Sachs – o estilo de se vestir 
3 – Quando o jogador gosta mais do jogo do que dos resultados do jogo: a vida pessoal de Andy Sachs

Ponto 3 – Aprendendo novas táticas e novas estratégias: o desligamento de Andy Sachs do mundo de Miranda Priestly

1 – Os fins justificam os meios: a forma de Miranda de jogar na selva das corporações capitalistas
2 – Trabalhamos com pessoas, para pessoas e através das pessoas: a errônea idéia de “passar por cima” de tudo
3 – Os Meios Justificam os Fins:o mais importante da escalada não é o topo, mas as paisagens que construímos no caminho
Tenha acesso aos áudios da palestra no meu site

www.ubiratangeo.com

2 comentários:

  1. Onde me inscrevo?
    Seus posts no YouTube são muito bons, a águia e o mongem são demais!

    Verifiquei mas não encontro informações de como me inscrever, poderia fazê-lo ou informar como ?

    meu email é aoki.edson@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Edson! Eu já inclui seu e-mail na lista do blog e logo vc vai receber o convite para acessar os 7 dias grátis! Ok

      Abs

      Excluir

Acesse meu site e tenha acesso a todos os áudios: www.ubiratangeo.com