17 de fev de 2017

06 - A Natureza do Espaço: a centralidade da técnica no estudo do espaço geográfico

06 - A Natureza do Espaço: a centralidade da técnica no estudo do espaço geográfico

Para o professor Milton Santos a técnica é fundamental para compreender a evolução, o estado atual e o estado futuro do espaço geográfico. É por meio das técnicas que se difundem pelo tecido social que os comportamentos e ações vão sendo alterados (ou sujeitos) a diferentes tipos de grupos sociais (capitalistas e grandes corporações). O objeto técnico é técnico somente em si, mas quando é inserido no tecido social ganha uma dimensão bem abrangente e impactante (cheios de intencionalidade). Vejamos o vídeo



05 - A Natureza do Espaço: a questão dos recortes espaciais (lugar e região)

05 - A Natureza do Espaço: a questão dos recortes espaciais (lugar e região)


O espaço geográfico como um conjunto indissociável de sistemas de objetos e sistemas de acoes é o pilar para compreender as teorias do professor Milton Santos. Ela é o pilar, mas existem outras categorias analíticas que sustentam esse conceito e são muito importantes pois, elevam em muito a compreensão desta categoria principal. E isso em termos empíricos (práticos e constatáveis) e não puramente em termos teóricos. Vamos ver no vídeo. 

04 - A Natureza do Espaço: o espaço geográfico como objeto de estudo


 O grande dilema da geografia sempre foi definir seu objeto de estudo. Para o professor Milton Santos esse dilema acabou quando ele definiu o espaço como objeto de estudo da geografia. E esse espaço não seria simplesmente um elemento abstrato passível de observação pessoal, mas um conjunto de categorias analíticas que permitiram outros colegas interprestar a realidade de cada sociedade.


Essas categorias são compreensíveis desde que se parta do principio de que o espaço geográfico “é um conjunto indissociável de sistemas de objetos e sistemas de ações”. Com base nesta definição básica podemos avançar na compreensão do livro do professor Milton Santos. Veja o vídeo


15 de fev de 2017

03 Gestão de Pessoas em sala de aula: introduzindo dinâmicas corporativas em sala de aula

Gestão de Pessoas em sala de aula:  introduzindo dinâmicas corporativas em sala de aula

As corporações visão o lucro! Isso não é segredo, mas em busca deste alvo elas criam, desenvolvem e introduzem métodos e técnicas que visão traçar perfis dinâmicos que possam vir a somar aos seus esforços de lucratividade crescente. Essas técnicas existe e estão disponíveis nos materiais de gestão de pessoas. Elas são extremamente funcionais e não utilizam lavagem cerebral ou lobotomia, mas um simples (singelo e objetivo) método de questionamento pessoal afim de que a pessoa saiba “quem é ela” e quais são seus “potenciais pessoais”. A resposta indicara se essa pessoa tem  noção de si mesmo e se esses potenciais estão em rota de colisão ou convergência com as organizações.


Eu utilizei esses mesmos questionamentos em sala de aula e para minha surpresa quase 90% dos alunos não sabiam se definir como pessoa exceto pelo seu próprio nome. Realmente uma tragédia conceitual que limita muito o trabalho colaborativo em sala de aula. Precisamos reverter esse quadro...