17 de fev de 2017

06 - A Natureza do Espaço: a centralidade da técnica no estudo do espaço geográfico

06 - A Natureza do Espaço: a centralidade da técnica no estudo do espaço geográfico

Para o professor Milton Santos a técnica é fundamental para compreender a evolução, o estado atual e o estado futuro do espaço geográfico. É por meio das técnicas que se difundem pelo tecido social que os comportamentos e ações vão sendo alterados (ou sujeitos) a diferentes tipos de grupos sociais (capitalistas e grandes corporações). O objeto técnico é técnico somente em si, mas quando é inserido no tecido social ganha uma dimensão bem abrangente e impactante (cheios de intencionalidade). Vejamos o vídeo



05 - A Natureza do Espaço: a questão dos recortes espaciais (lugar e região)

05 - A Natureza do Espaço: a questão dos recortes espaciais (lugar e região)


O espaço geográfico como um conjunto indissociável de sistemas de objetos e sistemas de acoes é o pilar para compreender as teorias do professor Milton Santos. Ela é o pilar, mas existem outras categorias analíticas que sustentam esse conceito e são muito importantes pois, elevam em muito a compreensão desta categoria principal. E isso em termos empíricos (práticos e constatáveis) e não puramente em termos teóricos. Vamos ver no vídeo. 

04 - A Natureza do Espaço: o espaço geográfico como objeto de estudo


 O grande dilema da geografia sempre foi definir seu objeto de estudo. Para o professor Milton Santos esse dilema acabou quando ele definiu o espaço como objeto de estudo da geografia. E esse espaço não seria simplesmente um elemento abstrato passível de observação pessoal, mas um conjunto de categorias analíticas que permitiram outros colegas interprestar a realidade de cada sociedade.


Essas categorias são compreensíveis desde que se parta do principio de que o espaço geográfico “é um conjunto indissociável de sistemas de objetos e sistemas de ações”. Com base nesta definição básica podemos avançar na compreensão do livro do professor Milton Santos. Veja o vídeo


15 de fev de 2017

03 Gestão de Pessoas em sala de aula: introduzindo dinâmicas corporativas em sala de aula

Gestão de Pessoas em sala de aula:  introduzindo dinâmicas corporativas em sala de aula

As corporações visão o lucro! Isso não é segredo, mas em busca deste alvo elas criam, desenvolvem e introduzem métodos e técnicas que visão traçar perfis dinâmicos que possam vir a somar aos seus esforços de lucratividade crescente. Essas técnicas existe e estão disponíveis nos materiais de gestão de pessoas. Elas são extremamente funcionais e não utilizam lavagem cerebral ou lobotomia, mas um simples (singelo e objetivo) método de questionamento pessoal afim de que a pessoa saiba “quem é ela” e quais são seus “potenciais pessoais”. A resposta indicara se essa pessoa tem  noção de si mesmo e se esses potenciais estão em rota de colisão ou convergência com as organizações.


Eu utilizei esses mesmos questionamentos em sala de aula e para minha surpresa quase 90% dos alunos não sabiam se definir como pessoa exceto pelo seu próprio nome. Realmente uma tragédia conceitual que limita muito o trabalho colaborativo em sala de aula. Precisamos reverter esse quadro...



02 Gestão de Pessoas em sala de aula: investindo em métodos colaborativos

Gestão de Pessoas em sala de aula:  investindo em métodos colaborativos

As corporações avançaram em termos conceituais ao substituir sequencialmente os termos proletário-funcionário-empregado por colaboradores. Não é uma mudança imediata e de fato, mas é uma mudança conceitual que aponta para o fato de que as corporações reconhecem que precisam da ajuda dos “colaboradores” afim de que o desenvolvimento de produtos e serviços transcorra de maneira lucrativa. Isso é um reconhecimento público e conceitual...

Esse mesmo reconhecimento ainda não chegou as instituições escolares porque ainda insistimos em chamar os alunos de alunos e não de “colaboradores”.  De fato, e verdade, eles são colaboradores! Não raro sempre tem um professor gritando “pessoal vamos colaborar” (kakkaka). Mas, todos os que estamos em sala de aula sabemos que quando os alunos decidem colaborar com o andamento do conteúdo a sala de aula realmente se transforma em um ambiente alegre, descontraído, disciplinado e dinâmico em nada lembrando uma sala de aula tradicional. 

Precisamos fazer essa transição considerando os alunos colaboradores do processo e não meros receptores de conteúdo. Precisamos chamar os alunos não a participar da aula (considerado apenas participação aquilo que reforça a posição do professor como autoridade absoluta em sala de aula), mas a colaborar (realmente trazer sua visão de mundo e suas hipóteses conceituais para sala de aula encorajando outros alunos a fazer o mesmo) com o andamento da sala..


Eu trouxe alguns questionamentos para sala de aula advindos do mundo corporativo e a experiência foi muito boa!! Perguntas simples como “quem é você??” e como você pretende colaborar com a “sala de aula”. A experiência foi incrível, veja no vídeo


01 Gestão de Pessoas em sala de aula: problemas conceituais dentro da instituição

Gestão de Pessoas em sala de aula:  problemas conceituais dentro da instituição 

A escola é uma instituição da Era Moderna e, de fato, tem se esforçado para se manter neste período histórico em vista da grande resistência que a Escola tem em adentrar na sociedade contemporânea. A ideia de trabalhar gestão de pessoas, administração e educação de forma conjunta é uma iniciativa para buscar unir o que há de melhor nestas três áreas em prol de uma inovação significativa dentro da sala de aula e  na relação entre professores e alunos.

Apesar dos apesares a escola evoluiu, mas não no ritmo do esperado (e do necessário) e se compararmos a instituição escolar com outras vamos nos dar conta que esse avanço foi mínimo, mas inegável. As corporações capitalistas (sempre acusadas de autoritarismo, foco excessivo no lucro e na hierarquização das relações) avançou mais do que a  escola ao incorporar no seu universo conceitual o termo colaborador (que vem substituir os termos empregados e funcionários) afim de demonstrar a importância de todos no processo produtivo como um todo. Mas, a escola ainda matem o termo aluno (ausência de luz, raiz em latim) para designar seus “colaboradores).

 E de fato, os alunos (em aulas dinâmicas e criativas) são colaboradores e não menos que isso. Quando eles deixam sua posição passiva de alunos e colaboram com a aula esta se torna prazerosa e cria um ambiente de alegria e prazer adjetivos que estão ausentes ainda na maioria das salas de aula. É preciso mudar esses conceitos urgentemente e nada melhor do que a Gestão de Pessoas e a Administração para incorporar essas inovações em sala de aula. 


Aulas Gestão De Pessoas Baseadas No Livro Chiavenato


Aulas de Gestão de Pessoas baseadas no livro de Idalberto Chiavenato  

Envio das Aulas via e-mail: Você recebe todas as 17 aulas de Gestão de Pessoas via e-mail para baixar no seu computador ou celular. São arquivos de mp3 (áudio) e slides (pdf). Abaixo segue os títulos das aulas
01 GP CHI - Introdução a moderna GP  (1 hora e 40 minutos)
02 GP CHI - GP em um ambiente dinâmico (1 hora e 30 minutos)
03 GP CHI - Planejamento Estratégico da GP (1 hora e 59 min)
04 GP CHI - Recrutamento de Pessoas (1 hora e 8 minutos)
05 GP CHI -Seleção de Pessoas (1 hora e 19 minutos)
06 GP CHI - Orientação das pessoas (1 hora e 13 minutos)
07 GP CHI - Modelagem de Cargos (1 hora e 20 minutos)
08 GP CHI - Avaliação de desempenho (46 minutos)
09 GP CHI - Remuneração  (54 minutos)
10 GP CHI - Programas de Incentivos ( 51 minutos)
11 GP CHI - Benefícios e Serviços (31 minutos)
12 GP CHI - Treinamento (1 hora e 6 minutos)
13 GP CHI - Pessoas e organizações (1 hora e 22 minutos)
15 GP CHI - Higiene, Segurança e qualidade de vida ( 1 hora)
16 GP CHI - BD e Sistemas de Informação de RH (50 minutos)
17 GP CHI - O futuro da gestão de pessoas  (30 minutos)

Pagamento Mercado Pago: Você pode pagar aqui através do MercadoPago com boleto bancário, cartão de crédito (vários) ou transferência bancária.

Pagamento Direto na conta: você pode depositar o valor direto na minha conta enviando e-mail confirmando dia e hora do depósito. Opções abaixo Banco Bradesco ou Itaú.Meu e-mail: radioblogtv@gmail.com

site da loja: http://ubiratangeo.mercadoshops.com.br/



Livro Os Sete Saberes Necessários a Educação – Edgar Morin: introduzindo a complexidade social para os alunos

Livro Os Sete Saberes Necessários a Educação – Edgar Morin: introduzindo a complexidade social para os alunos

Esse livro é realmente um dos melhores livros de educação das últimas décadas. Ele aborda a educação no âmago da questão: a relação escola e sociedade. Essa relação tempestuosa e intensa da escola com a sociedade não é nova, mas ela se estende sem resolução aparente a décadas. E isso se deve ao fato da instituição escola estar sempre atrasada em relação a dinâmica social e em tempos de transformação tão intensas (internet, redes sociais, globalização, pós capitalismo, sociedade do conhecimento etc) a escola realmente ficou para trás.

Não precisamos de muitos exemplos contundentes, mas de apenas um: o celular. O celular é o objeto que mais representa esse avanço das novas tecnologias (mobilidade) e a escola realmente se esforça para deixa-lo fora da sala de aula. É realmente incrível a resistência que a instituição escolar tem em relação a tudo o que não é tradicional!! O impasse é grande e o livro de Edgar Morin vem para tornar a compreensão da necessidade de “paz” com a sociedade e a intensificação deste relacionamento não somente como algo plausível, mas como algo desejável. Não temos como fazer a instituição escolar ser interessante e ter valor para os alunos se esta não for capaz de melhorar a introdução destes alunos em sociedade. E isso não pode acontecer se não estivermos na sociedade e em consonância (e isso não quer dizer plena concordância, mas apenas entendendo e acompanhando suas transformações) com essa mesma sociedade.


Edgar Morin traz para o debate conceitos importantes para se compreender a sociedade contemporânea: o contexto, o global, o multidimensional e o complexo. Esses são conceitos importantíssimos que podem ser incorporados as nossas aulas facilmente!! É um método de pensar e interpretar a sociedade que vai ajudar muito os alunos (e a nós mesmos) a enfrentar os desafios de uma sociedade cada vez mais fragmentada e com menos certezas do que era a sociedade moderna (de onde a instituição escola se origina). Vale a pena, ler e refletir sobre os conceitos expostos pelo autor!! Funcionam  muito bem em sala de aula!!