6 de ago de 2008

Gestão de Pessoas na Nutrimental: sugestões, participação e remuneração

A Nutrimental é um dos poucos casos de empresas que nasceram nas abas do Estado (tendo contratos fixos com o Estado) e conseguiram migrar para a iniciativa privada com sucesso retumbante. A história inicial desta empresa já é singular: nasceu dentro da Unicamp através de um projeto de pesquisa. Dai por diante a empresa cresceu através de uma relação meio que visceral com o Estado. Quando houve a redemocratização estes contratos foram questionados e cancelados o que levou a empresa a uma situação crítica de crise.

Mas, deixemos o historia inicial da Nutrimental para passar para sua história de sucesso no mundo privado. Como todos sabem estes “bons contratos” com o Estado (sendo lícitos ou ilícitos, éticos anti éticos) só duram até seus aliados estarem no poder, pois quando outro grupo entra você é imediatamente expulso do governo e ainda tem suas contas vasculhadas. Com a Nutrimental não foi diferente. Quando ela perdeu o contrato com o governo quase foi a falência. A o que ela produzia? Merenda escolar....rs

Mas, os funcionários reagiram e acabaram (em um processo que beirou entre a falência e a gestão pelos funcionários) por criar um acordo que gerou uma nova cultura organizacional na empresa. Agora eles também era sócios e podiam opinar sobre os processos de gerenciamento e introdução no mercado. A idéia de criar o “nutri” (aquela barra de cereal) nasceu dos próprios funcionários que ao levar a sobra do produto (sobra da merenda para casa) faziam uma espécie de cocada caseira com os cereais. A idéia foi acatada e levada ao mercado em sua forma industrializada. Ai hoje se vê o sucesso do chamado “nutri’. Até a Nestle já imitou! Essa inovação nasceu das mãos de merendeiras! Veja como o processo de Gestão de Pessoas faz toda a diferença...

Hoje a empresa cultiva um processo de Gestão de Pessoas (como também sustenta uma cultura organizacional) derivada desta história de sucesso empresarial. Foi um retumbante processo de inovação que nasceu da funcionárias de baixo escalão. Vamos lembrar do processo de workout: Work-Out é um simples, direto metodologia para corte burocracia e resolvendo problemas rapidamente. O seu gênio reside em aproveitar a inteligência dos trabalhadores mais próximo a um problema.

O processo de Gestão de Pessoas na Nutrimental ocorrem da seguinte forma:

- Estabelece um Júri

Em reunião mensal, os principais gerentes analisam em 4 horas cerca de 40 sugestões de funcionários. Os votos são computados e decidem se uma idéia e um novo produto ou aperfeiçoamento deve seguir para o estágio, aguardar, ser revisada pelo próprio autor ou descartada.

Evolve a cúpula

Se uma idéia é aprovada, dois gerentes são destacados para analisar o potencial de mercado, os canais de vendas e os assuntos legais. Num estágio mais avançado, quando devem ser aprovadas as verbas de pesquisa de mercado, o processo passa a contar com a participação da cúpula.

Remuneração das boas idéias

Equipes que sugerem novos produtos aprovados no processo ganham participação de 5% sobre os resultados de vendas da novidade durante o primeiro ano. O objetivo disso é aprimorar as sugestões e reduzir o número de idéias mal concebidas.

Observação:

Muito bom o processo de Gestão de Pessoas! Para o cenário do empresariado nacional isto é uma revolução gerencial. Mas, claro que devemos entender que há uma história por trás deste processo! Como já diziam os antigos: a necessidade é a parteira das inovações. Mas, eu acho covardia (ou inoperância) a forma como as propostas são colocadas.

Os funcionários tem que apresentar? Eles tem conhecimento do mercado? Eles podem aprimorar as idéias antes? Tem acompanhamento? Sabem o que é um plano de negócio? Sabem o que é mercado? Sabem das idéias que já correm no mercado? Ou o funcionário apresenta a proposta em uma folha de pão? Daí eu vejo o mal aproveitamento, porque na medida em que os funcionários tivessem um conhecimento melhor do mercado que os cercam eles poderiam colocar propostas mais bem elaboradas.

Na GE, lá no processo do workout havia universitários que faziam o meio de campo entre a gerencia e o baixo escalão. Estes universitários não estavam diretamente subordinados aos gerentes e tinham autonomia para apresentar suas propostas. No próprio livro narra (e eu li o livro!) muitos gerentes foram demitidos por não levar a sério as idéias dos funcionários!
Lá na GE esta proposta de Gestão de Pessoas realmente funcionou, mas teve que funcionar fora do “sistema de trabalho convencional” (work – trabalho; out – fora) para que a hierarquia e a burocracia não emperrassem o processo. Mas, no modelo da Nutrimental isso não parece acontecer. O que garante que não aconteça o que aconteceu na GE: descarte de idéias por questões hierarquicas. Eu gosto do Jack porque ele não descarta a natureza humana no processo. Ele não se ilude que um gerente vai acatar uma idéia de um cara do almoxarifado porque ele (o gerente) entende que o bem da empresa esta acima de qualquer vaidade pessoal..
Jack Welch jamais ignorou que haveria uma questão da disputa (ou inveja no jargão mais direto e popular) onde este gerente que ganha 17 mil reais poderia vir a não aceitar a idéia de um peão sob o risco de perder para um cara que ganha 600 reais o cargo de "inovador do ano" ou "funcionário mais criativo". Na GE, por considerar este fato, Jack Welch estabeleceu mecanismos que garantiriam a autonomia dos funcionários de menor escalão (contratou universitários sem vinculo hierarquico com a empresa). É preciso ser realista sem ser pessimista!

Agora temos que reconhecer que em termos de remuneração os caras jogam alto! São realmente 5% do faturamento das vendas por um ano??? Cara é uma boa grana heim!

3 comentários:

  1. Those deliciosious snacks haves the same effects as viagra online did you know it ?

    ResponderExcluir
  2. Boa materia, relamente se não houver "interesse" do chefe,nada irá para a frente, é o que ocorre no serviço público. Chefes que cometem assédio moral o tempo todo.
    Sou funcionária pública, gostaria muito de apresentar o texto numa das reuniões, mas se fizer com certeza minha avaliação será a pior possível.Qual chefe irá aceitar???
    Não eprco a esperança, enquanto ele se acha dono do cargo(até mudar o prefeito) eu vou ampliando meus conhecimentos.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Cecília! Realmente a área pública é uma tragédia em termos de administração. Essa mistura de "cargos de confiança" e "cargos efetivos" é mais danosa do que benéfica. A maioria das pessoas que ocupam cargo de confiança agem como chacais: são predadores de tudo e qualquer coisa porque sabem que a refeição só dura 4 anos. E por outro lado temos também os "efetivos" que agem (na sua maioria) como bichos preguiça que não tem pressa para nada na vida afinal de contas o fim de tudo é a aposentadoria.

    E no meio disso tudo tem as pessoas que realmente se importam com a coisa pública. Pessoas que buscam conhecimento, estratégias e táticas para agirem em meio ao caos. Fico feliz que vc seja uma destas! Parabéns!

    ResponderExcluir

Acesse meu site e tenha acesso a todos os áudios: www.ubiratangeo.com